Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

http://evergreen.blogs.sapo.pt

Lisboa está lá no fundo.

Saiu ontem o resultado do Ranking das Cidades Europeias com as Melhores Práticas para a Qualidade do Ar e Transporte Urbano. Os resultados estão todos aqui. Lisboa ficou em penúltimo lugar (56%), só com a cidade do Luxemburgo (53%)  atrás de si. No topo ficou Zurique (89%). Os parâmetros avaliados foram os seguintes e a escala de classificação --, -, 0, +, ++:

  • Redução das fontes locais (0)
  • Zonas de emissão reduzida (ZER) & exclusão de grandes emissores (+)
  • Utilização pública de veículos menos poluentes (-)
  • Fontes emissoras não relacionadas com mobilidade (--)
  • Uso de incentivos económicos (0)
  • Gestão dos transportes, mudanças nos padrões de mobilidade (0)
  • Promoção do transporte público (0)
  • Promoção da bicicleta & caminhar (0)
  • Transparência e política de comunicação (0)

 

A avaliação a Lisboa não me espanta nada. A nova limitação aos veículos antigos para as ZER que entrou em vigor este ano, só mostrou que as coisas com a qualidade do ar na cidade não estavam boas. Tanta gente a barafustar com a medida, tanto post no Facebook a circular com a comparação das emissões de CO2 de um BMW e de um Opel Corsa, quando o problema nada tem a ver com o CO2… e porquê? Porque neste país nada se explica às pessoas e talvez por isso a avaliação dada em Transparência e Política de Comunicação tenha sido 0. Mas quanto a esta medida, acredito que ainda vai ficar mais restrita. É que o limite para PM2.5 em 2020 (são só mais 5 anos) será de 20ug/m3 (desde 2015 que é 25ug/m3). Ainda sobre comunicação, não entendo porque é que na rádio se fala na previsão do estado do tempo mas não se fala na qualidade do ar. Se existem as estações de monitorização cujos dados estão disponíveis na Qualar porque não dar essa informação às pessoas? Acabo de visitar o site para ver os dados de hoje e apercebo-me que para PM10 e PM2.5 os dados não estão disponíveis para nenhuma das estações, em todo o país. 'Tá bonito.

Ontem alguém da Quercus disse que devem ser implementadas mais ciclovias e motivações para se pedalar em Lisboa. Muito correcto e apoio mas antes disto é importante reduzir o número de carros em Lisboa! É preciso baixar o preço dos transportes públicos, criar parques de estacionamento gratuitos junto às estações de metro na periferia da cidade e nas estações de comboio para que as pessoas possam deixar o carro em casa! Isto não é assim tão difícil de perceber. Se não é para mim, não é para quem toma decisões e por isso aqui por trás há interesses económicos para que isso não aconteça. “Vamos andar de bicicleta em Lisboa” é muito bonito de se dizer. Mas já experimentaram subir a Av. Liberdade e a Fontes Pereira de Melo de bicicleta atrás de um autocarro da Carris? Eu já e foi um momento inesquecível para o meu aparelho respiratório. Depois escrevo a explicar de onde veio esse momento. Para andar de bicicleta em Lisboa é preciso primeiro diminuir os valores de poluição porque os valores de dose inalados de poluentes são elevados, porque respiramos mais ar e mais profundamente e isso pouco contribui para a nossa saúde.

 

Mas deste problema o Sr. Costa já se safou.

 

 

 

  • Google Analytics